Curriculum lança formato de currículo para divulgação em mídias sociais

banner-mco-1

 

O crescimento acelerado das mídias sociais pedia um serviço à altura também para o processo de recolocação profissional. Com isso em mente, a Curriculum oferece um serviço diferenciado para exibir e divulgar o currículo do candidato em todas as formas de interação que a Internet proporciona e nas mídias sociais.

Ter hoje uma identidade virtual é cada vez mais comum, seja no Twitter, no Facebook, no Flickr, no Orkut, no Messenger. Para quem busca oportunidades no mercado, é interessante criar essa mesma identidade com o objetivo de recolocação profissional.

Nossa sociedade migra para a Internet, e é um caminho sem volta. As oportunidades de emprego se concentram nesse meio, e divulgar o currículo na web é essencial. E essa mesma Internet pede que tudo seja simplificado.

O novo serviço da Curriculum é autoexplicativo e fala por si mesmo o que oferece. É o link profissional do candidato no meio virtual. A Curriculum desenvolveu um endereço específico e apropriado, unido a uma plataforma de exibição limpa, sem anúncios publicitários, onde ficará apenas o currículo do candidato, sem nenhuma distração para a empresa, oferecendo foco total no currículo.

Outra vantagem é que essa URL poderá até mesmo ser indexada pelos grandes buscadores como Google, Yahoo e Bing, entre outros.

O serviço se chama Meu Currículo Online e nasce com o objetivo de ser o endereço definitivo para a divulgação do currículo em qualquer meio via Internet ou em redes sociais. É a identidade profissional de todo candidato, esteja ele empregado ou não.

Para os interessados, basta acessar o endereço e seguir as orientações.

Currículo Online

 

Currículo na Internet pode ter mais de um objetivo profissional

Montar um currículo sempre foi uma dúvida para muitos. Com o avanço da Internet como fonte para buscar uma recolocação, surge mais uma pergunta: o currículo impresso é diferente do online?

Se o currículo tradicional deve ser sucinto e com, no máximo, duas páginas, o currículo na Internet é diferente. Desde que as informações sejam pertinentes, relevantes e relacionadas com o objetivo profissional, o candidato pode colocar mais informações do que colocaria no currículo impresso. Isso o ajuda a ser mais facilmente encontrado pelas empresas durante suas pesquisas.

Dentro de um sistema online, o selecionador conta com a ajuda do computador para encontrar um currículo e, por esse motivo, ele pode estar mais extenso do que o tradicional. Quanto mais completo ele estiver, com todas as informações de sua carreira, habilidades, cursos e assim por diante, maior será a probabilidade de o currículo constar nos resultados das buscas.

Por este motivo, é importante também ter não apenas um objetivo profissional no currículo, como acontece no impresso, mas incluir todos os cargos similares ou relacionados. Assim, as chances aumentam. Vejamos como exemplo: Secretária Executiva Bilíngue, Secretária Executiva e Secretária Bilíngue.

As empresas buscam candidatos por nomes diferentes, que muitas vezes dizem respeito à mesma função. Nestes casos, nos sistemas mais avançados, o currículo só constará no resultado da pesquisa se a empresa buscou um cargo exatamente com o mesmo nome no objetivo profissional.

No entanto, não se deve colocar cargos díspares, referentes a funções diferentes. Quem está disposto a fazer qualquer coisa transmite a sensação de que não faz nada bem feito.

Como estagiários e trainees devem montar seus currículos

No segundo semestre de cada ano, grandes empresas iniciam seus processos de trainees e estagiários, em busca de candidatos com formação superior em andamento ou concluída há até dois anos. Geralmente eles oferecem um bom número de vagas, mas a concorrência entre profissionais é sempre grande. Como fazer para se destacar?

Um dos pontos é a montagem do currículo, que pode gerar dúvidas para a maioria destes candidatos. E quando não há experiências profissionais na área, ou às vezes nenhuma? Em primeiro lugar, o jovem deve entender que há muitos outros na mesma situação. Portanto, ele deve procurar se diferenciar mesmo sem experiências profissionais formais.

Aqui vão os passos básicos na montagem do currículo:

 

1 – Reunir informações e dados

Reúna dados sobre cursos de formação ou complementares, datas de início/fim, empresas onde trabalhou, cargos, datas de entrada/saída, habilidades em softwares, certificados, dados para contato, viagens ao exterior. Relembre feitos profissionais e resultados alcançados para a companhia e anote. Quem não tem experiências pode anotar sobre atividades acadêmicas ou voluntariado.

 

2- Definir objetivos

Defina a área e os cargos em que deseja atuar, pensando nos objetivos de curto prazo, que devem ficar claros no currículo.

 

3- Elaborar a descrição das realizações profissionais

Eleja quais realizações identificadas entrarão no seu CV. Crie frases de 15 a 25 palavras para cada uma delas, descrevendo o que você fez, como fez e quais os resultados positivos obtidos para a empresa.

 

4 – Compor o currículo

O currículo é composto da seguinte maneira:

 

Cabeçalho: exibe seu nome, dados pessoais (nacionalidade, idade, estado civil) e seus principais dados de contato (endereço, telefones, e-mail).

Objetivo profissional: é recomendado incluir para facilitar a identificação da área profissional à qual o currículo se refere.

Principais qualificações: Inclua aqui um parágrafo inicial que indica tempo de experiência (se houver), área de atuação predominante na experiência e principais organizações onde trabalhou.  Em seguida, liste de três a cinco realizações, uma por parágrafo, consideradas pontos altos de sua carreira. As realizações mais importantes vêm à frente.

Experiências profissionais: é aqui que você vai se diferenciar dos demais candidatos, falando sobre suas principais realizações.

Liste suas experiências profissionais, citando o nome da empresa, data de entrada e de saída, os cargos que você desempenhou e as principais tarefas realizadas em cada um deles. A ordem deve ser da experiência mais recente para a mais antiga.

Formação: informe nome da instituição de ensino, nome do curso e ano de conclusão previsto ou efetivo. Informe ano de trancamento se for o caso. Para informar mais de um curso, coloque-os do mais recente para o mais antigo.

Idiomas: informe os idiomas estrangeiros que conhece, mencionando seu grau efetivo de conhecimento. Não exagere suas aptidões. Afinal, elas podem ser testadas em entrevistas e, é claro, durante o desempenho da função.

Cursos complementares: inclua nome do curso e da instituição, com ano. Inclua apenas os recentes ou mais importantes para a área que é seu objetivo.

Conhecimentos em informática: inclua softwares, sistemas operacionais e conhecimentos sobre internet, mas coloque apenas o essencial, além de ferramentas importantes para sua área específica, caso saiba trabalhar com elas.

Prêmios: caso tenha ganhado algum prêmio de destaque, cite aqui. Se não houver, este campo não é necessário.

Viagens profissionais: aqui se incluem também viagens ao exterior, com finalidade profissional ou também de estudos e de intercâmbio. É interessante colocar o país, o motivo da viagem e o ano em que ela aconteceu.

Trabalhos voluntários: caso tenha realizado algum tipo de trabalho voluntário, cite qual foi, quando e de que maneira você atuou.

Como montar o currículo perfeito e aproveitar a melhor época do ano para conseguir um emprego

O início do ano, ou seja, janeiro, fevereiro e março, é a melhor época para procurar emprego segundo especialistas em Recursos Humanos. O crescente número de oportunidades é motivado pelo orçamento disponível das empresas.

Mas estamos no país do Carnaval. As pessoas muitas vezes deixam para procurar emprego depois dos momentos das festas. Isso é um erro. É no começo do ano que as empresas mais contratam e, em muitos casos, a concorrência é menor do que o período após o Carnaval.

Portanto, é hora de aproveitar a oportunidade. Mas não podemos esquecer que conquistar um emprego é como uma corrida de obstáculos. Montar um bom currículo é a primeira etapa desta corrida. No entanto, tem muito candidato que tem dúvidas sobre como montar um bom currículo e chamar a atenção dos profissionais de RH.

Veja dicas para montar o currículo perfeito:

 

1)      Em primeiro lugar, reúna todas as informações sobre você, sem excluir nada. Faça então uma grande massa de informações sobre a sua vida. Invista tempo nesta etapa. É provável que estes dados resultem em várias páginas, mas não se preocupe, o objetivo é esse mesmo. Nesta fase, não resuma nada. Preocupe-se apenas em relembrar tudo o que já fez na vida.

 

2)      Depois desta etapa, compreenda que o currículo nada mais é do que uma peça publicitária de vendas do seu principal produto: você. Portanto, ele deverá ser elaborado como um folder ou folheto promocional, destacando o que você tem de melhor.

 

3)      Tenha em mente também que no processo de seleção são analisadas centenas de currículos e, por conta disso, os profissionais de Recursos Humanos invariavelmente não gastam muito tempo em cada um e farão uma leitura rápida das informações contidas nele.

 

4)      Com estes pontos em mente, agora é hora de você selecionar os principais dados, deixando apenas informações necessárias para que o selecionador se interesse pelo seu perfil e o convide para uma entrevista. Afinal, este é o objetivo principal do currículo: despertar o interesse dos selecionadores para que eles o chamem para entrevistas.

 

Agora, vejamos o que é mais importante ter em mente na hora de resumir as suas informações:

1)      Comece com o seu nome (em fonte grande) e dados de contato (em fonte menor), mas dê destaque (fonte maior do que a do nome) ao seu objetivo profissional.

 

2)      Junto com o currículo do candidato, talvez estejam sendo analisados centenas ou até milhares de currículos. O uso de palavras-chave que chamem a atenção e um layout que ressalte os melhores resultados é prioridade.

 

3)      Fale de você; de suas qualidades, mas tome muito cuidado nesta hora para não exagerar e sair do “bom tom”.

 

4)      Erros de gramática são em geral fatais e tendem a desqualificar o candidato de imediato. Cuidado com o português.

 

5)      Cite apenas os resultados mais significativos e evite ser detalhista. A hora do detalhe é na entrevista presencial. Nunca seja prolixo.

 

6)      No item Formação, comece pelo curso mais recente. Caso ainda não tenha o nível superior, indique o último nível alcançado. Cite também doutorado, mestrado e MBA. Não confunda formação acadêmica com cursos complementares.

 

7)      Quanto ao Idioma, deixe claro seu nível de fluência e não subestime nem superestime seus conhecimentos.

 

8)      Conhecimentos de Tecnologia, Informática e Internet são relevantes e, portanto, devem ser destacados separadamente no seu currículo.

 

9)      Nas Experiências Profissionais, coloque em uma linha, com destaque o nome da empresa e o período em que esteve por lá. Logo abaixo, liste seus cargos, começando pelo mais recente ou atual e informe também o tempo na atividade.

 

10)  Coloque em Cursos Complementares todos os cursos que sejam relevantes para o cargo aos quais você aspira e que tenham a ver com seu objetivo profissional.

 

11)  Assim como nos cursos, cite apenas as viagens significativas para a sua vida profissional.

 

12)  Faça tudo no máximo em duas folhas.

 

13)  O tipo do papel não é tão importante, mas o currículo deve estar legível, limpo e sem amassar.

 

14)  Caso o currículo esteja na Internet, coloque na última linha o link para acesso a ele. Isso é importante, pois caso algum dado de contato se altere, o selecionador sempre terá um lugar onde poderá ver os dados atualizados.

 

Cada vez mais tem sido na Internet onde as empresas buscam candidatos. Segundo dados da Curriculum.com.br, nos últimos seis meses em relação ao momento em que escrevemos este texto (fevereiro de 2011), 128.885 profissionais cadastrados no site informaram ter sido contratados. Independentemente do currículo em papel, não deixe de ter a versão online dele num site de grande reconhecimento e bastante utilizado pelas empresas.

Você também encontra mais informações sobre como preparar um currículo vencedor no Manual da Recolocação Profissional, que a Curriculum.com.br disponibiliza gratuitamente a todos os seus usuários. O cadastro do currículo na Curriculum.com.br é gratuito.

Dicas para enviar o currículo por email

A Internet tem se tornado a principal ferramenta de busca de candidatos pelas empresas, e muitas pessoas estão recorrendo a ela para recolocação profissional. Isso ocorre basicamente pela praticidade que a Internet oferece aos profissionais de Recrutamento e Seleção na hora de buscar candidatos, seja para comunicar suas vagas em aberto, seja para buscar candidatos em bases de currículos.

No entanto, uma “antiga” prática continua sendo feita pelos candidatos na hora de buscar um novo emprego: o envio do currículo via e-mail. Nessa hora, muitos acabam cometendo erros que mais prejudicam do que ajudam. Abaixo, 11 dicas que ajudarão a causar uma boa primeira impressão na hora de enviar o currículo por e-mail. Continue lendo Dicas para enviar o currículo por email

Tire a dúvida: colocar ou não foto no currículo?

Colocar ou não a foto no currículo? Esta dúvida sempre existiu e continua existindo. Até mesmo especialistas no assunto questionam o tema, pois alguns dizem que sim, enquanto outros dizem que não, que jamais se deve colocar foto no currículo.

Esta dúvida vem desde os períodos anteriores à Internet, quando às vezes se viam pessoas colocarem foto no currículo, e permanece até os dias de hoje quando o assunto é o currículo online.

Uma ótima dica para não fazer feio é responder a três perguntas. O cargo exige boa aparência? Você tem uma foto de rosto, de boa qualidade, com bom foco e luminosidade? Você está com boa aparência nela? Se a resposta é SIM a TODAS estas questões, então é aconselhável colocar a foto no currículo. No entanto, um não a qualquer uma destas três perguntas é o suficiente para não colocar foto no currículo.

Estas perguntas nascem da necessidade de colocar pontos fortes no currículo, de maneira correta e em harmonia com o objetivo profissional.

Nada de colocar fotos mal tiradas, com baixa resolução, fora de foco, com baixa luminosidade, ou ainda se a aparência na foto não contribuir. Também é desnecessário para cargos onde a boa aparência não faz parte dos critérios de seleção.

Se o profissional quiser colocar a foto, esta deve enquadrar o rosto com parte do ombro e tronco (como nas fotos 3×4). A foto deve transmitir simpatia e alegria, sempre com bom senso. Não precisa ser necessariamente uma foto de estúdio. Pode ser tirada com máquinas normais, mas que também esteja, no final, num tamanho adequado.

O candidato deve pensar bem, analisar e verificar o resultado final do currículo, que é como uma peça publicitária. E mesmo levando em consideração tudo o que já foi dito, o candidato deve verificar se gostou do resultado, sempre lembrando que, em alguns casos, uma boa foto no currículo pode ajudar, mas sempre será um risco. Compor o currículo com este detalhe mal trabalhado poderá pôr a perder a chance de uma entrevista presencial.

Como criar um currículo sem ter ensino superior e chamar a atenção do selecionador

Em nosso país, não é raro encontrar profissionais com muita experiência, mas sem ensino superior concluído. Isso é ainda mais comum entre profissionais com mais idade.

Ensino superior é um fator tradicional de inclusão em processos seletivos para cargos de determinadas hierarquias. As empresas, quando selecionam talentos, buscam pessoas qualificadas. Como candidatos sem diploma devem estruturar seus currículos para concorrer a vagas e ser chamados para entrevistas? Continue lendo Como criar um currículo sem ter ensino superior e chamar a atenção do selecionador